sexta-feira, 21 de março de 2008

Jacaranda mimosifolia

Fotografia de Anthony Ghiglia, detalhe


Não me lembro de todas as ondas que surfei.

Em vez disso, recordo-as por águas passadas que, ao contrário do senso comum, fazem mover um moinho. E aí são princípio e fim: cada onda é gota que faz girar a mó e grão moído empoeirando-se algures em mim, alimentando a vontade de voltar. Um todo de mar ido que impele para o mar que virá, felicidade gerando felicidade... Fecha-se o círculo.

Sem quaisquer traços de lucidez que não o de uma mnemónica se querer simples, chamo-as apenas e só por 'ondas'.

N'O Senhor dos Anéis, entre todas as outras fantásticas criaturas, Tolkien encontrou uma que achei particularmente poética: os Ents, pastores de árvores. Longevos seres, tendo por natureza a do próprio rebanho, de árvore "[...]tosca e densa, que ri do mundo vão e até da morte[...]". Sem pressas, no seu dialecto de longas e arredondadas sílabas conjugado com a ternura decorrente da responsabilidade, todas as árvores terão majestosos nomes.

Imagino que, nesse dialecto, a assonância e intrínseca alegria do nome 'Jacarandá' soaria melodiosamente por muito tempo. Não que inveje a imortalidade daqueles pastores ou seus prolongados trauteios, seria um desejo vão. Contento-me com a facilidade de, cumprindo a feliz contracção de carinho e festa no ‘cognome científico’, o chamar, sorrindo. Porquê? Simples, tenho-o por mnemónica.

Não me lembro de todos os pormenores do meu casamento. É um dia demasiado intenso... Mas de olhar para a minha mão sempre que a minha mulher, linda, me chamava marido, isso não esqueço.

Sorrindo, contemplava o círculo fechado...



10 comentários:

Anónimo disse...

Que voltes sempre a esse mar e a essa esposa com a mesma alegria e a mesma paz.
Que esse círculo nunca te encerre, antes te aconchegue e contenha, e seja para sempre o sítio onde desejas regressar.
Muitos parabéns, e obrigada pelas fotos ;-)

Ana "inthehouse"

DC disse...

Grande Pinto,

Desculpa o atraso, mas tenho andado um pouco "longe" da net e das novidades atitudenses. De qualquer maneira, como mais vale tarde que nunca, aqui vão os meus parabéns, para ti e para a tua esposa ;)

Que sejam muito felizes nesta caminhada chamada vida e, apesar das dificuldades e chatices, que saibam que são sempre o porto seguro um do outro.

Um grande abraço,
Daniel

Jorge Pinto disse...

Ana, nós é que agradecemos a vossa contribuição para as fotos ficarem 'catitas'!

E quanto aos círculos, os dois que um não é sem o outro, acho que uma boa perspectiva é a de que juntos desenham um infinito...

Beijinho

Daniel, muito obrigado e não te preocupes que nestas coisas não há atrasos. Pela grandeza que refiro ali atrás e mesmo contando em dias, chegaste nos primeiros de DC!

Abraço

Nuno disse...

Nestes momentos as palvras podem parecem todas iguais, nao posso deixar de desejar amor, paz e felicidade aos dois.

Nuno

Su disse...

"Amar não é apoderar-se do outro para completar-se, mas dar-se ao outro para completá-lo".(Lao-Tsé)

Muitas muitas felicidades aos dois ;)

Jorge Pinto disse...

Nuno, a cópia de algo bem feito não precisa ter a conotação negativa da falta de criatividade.

Não me parece que o costume de agraciar alguém com felicidades de forma sentida possa alguma vez deixar de ser um excelente custom...

Abraço e mais te digo: desejos de amor, paz e felicidade aos três!

Su, obrigado. Cao-Tsserá também.

Smartphone disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the Smartphone, I hope you enjoy. The address is http://smartphone-brasil.blogspot.com. A hug.

tatiana disse...

Sou contra! :p

Preferia a outra imagem deste post!

Jorge Pinto disse...

'Os Homens em nenhuma outra coisa mostram o mais intrínseco de seus pensamentos que no que escrevem'. Damião de Góis

Tatiana, apesar de tanto mostrar dos meus pensamentos por estas bandas, a outra parecia-me muito pessoal. Como encontrei esta, mais surf related e cores jacarandescas, achei por bem deixar a outra mais resguardada, apenas no álbum lá de casa.

Acho que o texto descreve bastante bem o que penso daquele dia, da minha mulher. E, como era só um detalhe, nem sequer servia para matar a curiosidade feminina...

Por isso, se me permites, não sejas contra. Sê antes com... pleta!

Varnavé disse...

Sensações q por muito q se repitam mantém sempre a mesma intensidade.

Pessoal, alguem com ideia de vender uma prancha pra amador? O senão é q o amador em questao nao tem experiencia no surf, so muita no skimming.
Qualquer coisa, comuniquem!


um abraço e boas vibes
Varnavé