segunda-feira, 3 de março de 2008

Tales from the Tube




Não tenho muitas palavras para o descrever. Era um supertubo verde onde me encaixei. Ou melhor, tenho imensas, mas não passam de clichés. Assim como Pessoa dizia que todas as cartas de amor são ridículas , também qualquer descrição da última etapa da união entre um surfista e o seu objecto de desejo deverá estar batida e poucas palavras encontro no meu léxico que possam adicionar alguma coisa ao que já tenham lido, visto, ou melhor, sentido na própria pele. Só queria dizer que o fiz. Ou terá sido ele que me fez a mim...surfista?


2 comentários:

tatiana disse...

Há dias assim, bem passados.
Em que quando fazemos um resumo na nossa cabeça daquele dia é fácil perceber que valeu a pena, nem que seja por segundos.

Tenho que te dizer que já te ouvi falar muitas vezes do teu feeling sobre uma qualquer surfada, portanto hoje, a do tubo, é mais uma que 'o' confere!

Ou seja, o que te quero mesmo agradecer, é por me teres levado até esta artista.

Há dias cinzentos, e tu hoje com este link fizeste a 'minha' diferença.

Ty. Tatiana.

Su disse...

E aí parece que o tempo permanece parado, e a existência de vida resume-se a ti e ao mar... e tudo o mais deixa de ter importância

Já tb através da Ty fikei a conhecer alguns excelentes artistas, hoje foi mais uma =)bigada