sexta-feira, 24 de julho de 2009

The Reader



"Se um livro é uma janela,
Uma porta de luz para o lar,
Não será a mais bela
A que tem vista para o mar?"
Luis Paulo Magalhães


Um dia destes, ao voltar de casa dos meus pais, fi-lo "à moda antiga".

Antecipando um certo prazer, daqueles que se estragaram por excesso, ao ponto dos abandonarmos para só mais tarde redescobrir, roubei um livro das prateleiras do meu antigo quarto e fui para a paragem do autocarro.

Talvez seja estranho falar nestes termos das leituras com que palmilhava todos os quilómetros feitos em transportes públicos. Livros, revistas, jornais... tudo me servia para atenuar o sentimento de revolta pelo que na altura classificava como tacanhez paterna por não me agraciarem com um automóvel, evitando mesmo que ipirangasse um "Vou-me embora de casa!" em vez do mais usual "Mãe, o que é o jantar?".

No entanto, além de mediadores das injustiças decorrentes da ancestral característica paterna de não entenderem as reais necessidades dos filhos adolescentes/jovens adultos, é certo que chegava quase sempre mais tarde, mas também quase sempre mais "rico". Uma dessas leituras era obviamente a Surf Portugal. Da capa à contra-capa, entre os textos que lia duas vezes ou os que saltava depois das primeiras linhas, fazia a viagem casa-faculdade.

Não sei se gostei dos textos do Gonçalo Cadilhe à primeira leitura, mas sei que a dada altura passaram a ser eles a principal razão por dar aqueles trinta quilómetros mensais sempre por bem empregues. Quando as suas crónicas da SP passaram a livro, comprei-o imediatamente, relendo prazenteiramente, mesmo adivinhando palavras ou frases inteiras. Se tivesse de nomear um, um e apenas um, responsável pela forma como vejo, sinto, faço ou escrevo o surf, acho que seria o autor dos textos do Pulsar das marés e dos Sete mares. É aqui que entra o Pedro Adão e Silva.

Acho que já o conhecia do Ondas antes de ele iniciar a sua participação na SP. Mas certo é que, para mais sendo eu próprio secreto aspirante a cronista viajante de uma revista de surf, quando li o primeiro texto da coluna O Sal na Terra devo ter pensado que talvez fosse melhor não me despedir imediatamente do meu trabalho. Numa altura em que o GC terá partido no encalce dos passos de Magalhães, os textos do PAS preencheram esse lado melancólico e poético do off-surf, com o saber e mestria que encontra no surf propriedades químicas semelhantes à do hidrogénio: está em tudo e em todo o lado.

O PAS lançou um livro homónimo dessa sua coluna, onde reúne as suas melhores crónicas. E, porque além do mais usou a caixa de email aqui do blog para nos enviar o convite/press releass do lançamento (que só alguns dias depois descobrimos nas catacumbas do google groups para o qual o mail direcciona - Mountain View, we have a problem...), achei que merecia uma recomendação directa aqui da malta. Quer para quem não conhece, quer para quem como eu possa querer adivinhar palavras e até frases inteiras, parece-me uma boa leitura para a vossa poltrona favorita.

O livro que trouxe de casa dos meus pais, reacendendo a chama, foi o No princípio estava o mar, do GC. O do PAS quase que merecia que largasse o conforto do carro em casa por uns dias. Mas como vou trabalhar uns tempos para o interior profundo e oprimido, longe do mar e da família, O Sal na Terra talvez venha a servir para ultrapassar distâncias num outro meio de tranporte: a imaginação...


Fotografia de Tariana Mara

9 comentários:

Surfando os Blogs disse...

Olá Luis, Pedro, Jorge e Rudas,

Seu blog foi incluído no Surfando os Blogs, que é inspirado no blog neo zelandês "Surf the blogs", mas com a diferença de que o Surfando os Blogs contém somente Blogs de Surf escritos na língua portuguesa.
É o local mais prático para conferir uma lista sempre atualizada (automaticamente, pelo RSS/Feed) das postagens mais recentes desses blogs em nosso idioma.
Caso não queira que seu blog faça parte da lista, basta informar.
Caso queira retribuir o link em seu blog, ficaremos muito agradecidos.

Saudações,

Equipe do Surfando os Blogs
http://surfandosblogs.blogspot.com/

tatiana disse...

Olá Meninos, agora são 4, por isso aumento a minha dose de ''cumprimentos''.

Com este texto aconteceu-me algo engraçado,quando o começei a ler pensava que era do LP. E quase que ouvia a voz dele a ler em alto, e...no final não é, enfim.

Boas férias para todos, boas ondas que eu vou rumar a norte !

kisses *4 !

Jorge Pinto disse...

Equipe do Surfando os Blogs, já submeti este assunto ao presidente da mesa da assembleia do nosso blog de forma a que este assunto vigore na ordem de trabalhos da próxima reunião magna aqui do pessoal.

Como da última vez que tivemos assembleia não conseguimos passar dos primeiros dois pontos - 1.Surf Trip; 2.Surfar - não garanto que vos demos a nossa posição num futuro muito breve mas, se aceitarem um sim provisório sem vir depois falar em direitos adquiridos, tudo bem.

Já houve um site com o mesmo intuito que nos abordou, mesmo aquando do início do blog, e na altura achámos que haviam certos pressupostos a cumprir "antes de partir para um negócio desses". A avaliar pelo comentáro da Tatiana, eles estão cumpridos.

Abraço e boas ondas

Pedro Ferro disse...

Tatiana, obrigado pela tua visita, tenho sentido a ausência da maresia das tuas palavras, esperemos que para breve voltes à carga no teu blog e no mar.

Boas férias tb para ti, boas ondas se for caso disso e excelente Verão a Norte... brevemente tb irei rumar para lá!

Pedro Ferro disse...

"Com este texto aconteceu-me algo engraçado,quando o comecei a ler pensava que era do LP. E quase que ouvia a voz dele a ler em alto, e...no final não é, enfim."

Engraçado que quando o li pela primeira vez, ainda que por um ínfimo instante, pensei que tivesse sido eu a escrevê-lo... mas no final a assinatura do Pinto clarificou-me por completo a dúvida, enfim!

Mas passe o estilo, a forma, os tiques, a habilidade e etc-e-tal poderia ter sido mesmo eu.

Senti que era minha a paixão retratada, que era eu a ler pela primeira vez as crónicas do Cadilhe, eu a descobrir como a poesia do surf, afinal, poderia ser (bem) escrita.

Comprei o livro do Pedro Adão e Silva há coisa de um par de semanas, igualmente sabendo de antemão que lhe vou adivinhar palavras e até frases inteiras... mas é sempre bom ter o mar à mão... o que PAS escreve sempre me pareceu um bom local para a fuga, como o de Truffaut:

"(...) a esse lugar que regressamos para nos libertarmos do quotidiano e para nos reconciliarmos com o resto da vida.(...)"

Luis Paulo Magalhães disse...

Venho por meio desta caixa de comentários pedir as mais sinceras desculpas ao meus pares e à minha legião de fãs - beijinhos para todas - por não andar por aqui a parar muito.

Nestes tempos em que as "fessoas" apenas se citam a elas próprias, é bonito assistir a um amigo a fazer-se entender nas palavras de outro.

Como nestas coisas do amor que com amor se factura, posso-te dizer caro amigo que também eu faço uso das tuas palavras.

E só não te cito porque não me dá jeito começar o sussurro com: "Como diz o Jorge Pinto..."

Já ao PAS desculpem-me a frontalidade mas...

"Um blog com mais 3 amigos em que se fala de surf? Podias ter sido mais original...grumpf."

Jorge Pinto disse...

Tatiana, no outro dia só tive tempo mesmo para um comentário. Como o Peter já fez as honras da caixa, resta-me sublinhar que o que te aconteceu não é assim tão, tão extraordinário, nem demonstra uma sensibilidade feminina particularmente acima da média já que, quando se começa a ler, é mesmo do LP... :P
On the other hand, a tua constante visita já é merecedora dos mais rasgados elogios, dado que dentro do pouco tempo que nos é concedido nesta viajem terrena, não dispensas uma passagem aqui na tasca da malta... ;)
Obrigado por mais esta visita, bejinho e boa viajem!

Já aos meus caros comparsas do teclado, ainda bem que, para mais reciprocamente, se revêem naquilo que escrevo! Não só é bom sinal quanto à possibilidade de estarmos a chegar ao amâgo de sensações e sentimentos "surfísticos", como também me liberta do sentimento de culpa por um ou outro texto vosso, admirado pela qualidade e invejado na antecipação sobre o tema.
Mais, como poder ser gost-poster de tão ilustres escribas me põe ao nível do what's-his-name-que-dá-uma-mãozinha-ao-Skip-Frye é bom saber que ando a blogar com os melhores... bons, vá... hmmm... não se esqueçam de reler aquela parte do "talvez fosse melhor não me despedir imediatamente do meu trabalho". :D
Grande abraço e boas ondas

tatiana disse...

Ora bem se soubesse que ia ter aqui os meninas em alegre ''cavaqueira'', já teria escrito por aqui, havia tempo !

Caro Pinto, Não quis demonstrar qualquer sensibilidade extra, da minha parte, feminina, ao escrever o meu comentário, foi mesmo uma partilha que achei engraçada, e não passou disso mesmo.

Caro Pedro, Também eu sinto saudades do mar, mas está para breve a volta, dado que tive alta médica.
Já agora, hoje vou comprar o dito livro do PAS.
Depois falaremos sobre ele, e boas férias, lá por cima. Não te esqueças de comer o polvo, ou de ir ao tão conhecido festival de marisco de Vigo...vale a pena, no intervalo de uma onda ou outra!

Carissimo LP, Muito agradecida pelo que me toca, o merecido beijinho para as fãs, nas quais me incluo !

Boas férias e boas ondas !

Rudas disse...

Meus Caros,

Primeiro que tudo, perdoem-me esta ausência que, vos garanto eu, apenas o meu sentido de humildade e de ocasional-anti-pirraça me impediu de lhe dar mais célere justificação - não desculpando no entanto um mais pronto interregno.

Os motivos são nobres, perfeitos e deambulam em sets que me fazem perder as mais básicas noções de tempo e espaço.

Apenas percorro trilhos marítimos e tenho deixado as rotas virtuais para ocasiões mui nobres, como esta em que me despojei no meu sofá apreciando o estalar de vértebras e a já (quase) esquecida sensação de mente sã em corpo durido.

Tudo isto para encorpar a minha apreciação das vossas linhas.

Passo pelo 'irra vamos lá a isso' do LP, circulo o 'tombar jamais' do Pinto e já impávido, aprecio a sombra do 'meu pé de laranja lima' do Pedro.

Tive a honra de viajar com vocês e agora o previlégio de largar prósa neste vosso espaço que também já considero meu.

Obrigado e bem hajam,
O próximo soltar das 4 quilhas fica por v/ conta...